Sobre a Combat Sport

Há quase 50 anos fazendo parte da história da indústria de suplementos alimentares e dos esportes de academia no Brasil

 

A Banca

 

Tudo começou na famosa esquina entre as avenidas Ipiranga e São João na década de 1950. O senhor Nelson Pereira da Silva tornou-se concessionário de uma banca de jornais nas imediações e seu filho Arnaldo Pereira da Silva Neto cresceu rodeado de informação e conhecimento. A Banca do Gaúcho recebeu este nome por ser um dos principais dos pontos de encontro dos migrantes sulistas que chegavam à capital paulista.  

Por iniciativa do jovem Arnaldo, que trabalhava com o pai desde cedo e foi atrás das editoras e importadoras, o local ficou conhecido por ter uma grande variedade de revistas especializadas e publicações internacionais, além da oferta de jornais de outros estados, que era comum na época. 

 

Em meio a tantos periódicos, uma temática sempre chamou mais a atenção do jovem Arnaldo: lutas e artes marciais. E essa paixão era ainda mais estimulada a poucos metros da banca, estava localizado o Edifício Zico (Av. Ipiranga, 818), que abrigava a academia do Sensei Yasuichi Ono, judoca, e também o famoso Clube Roldan de Musculação. O local seria ainda sede primeira academia de Karatê Kyokushin, com Eduardo Hatakeyama, anos depois. Ter um espaço dentro deste prédio icônico tornou-se um sonho para Arnaldo. 

 

Arnaldo (dir) com seu pai, sr. Nelson Pereira (esq)

 

A Loja

 

Em 1978, Arnaldo decidiu comprar uma sala comercial próximo à praça Júlio de Mesquita para venda de alguns produtos direcionados para esportistas, inspirado por uma loja na Argentina. Nesse período, não existiam produtos embalados, tão pouco órgãos fiscalizadores como a Anvisa. Assim, os produtos eram vendidos a granel, os ingredientes eram misturados no balcão em uma embalagem fracionada, da mesma forma que grãos nas feiras e mercados, sendo entregue diretamente ao consumidor. 

 

A loja era um investimento de Arnaldo, que ainda tinha como negócio principal a banca de jornais. Mas no início da década de 1980, o Sr. Nelson Pereira acabou adoecendo isso fez com que Arnaldo assumisse totalmente o controle da banca de jornais, optando por fechar o estabelecimento. 

 

No 6º andar do Edifício Zico havia uma editora chamada Bangor, que produzia desde pôsteres de astros do rock até revistas especializadas inspiradas em materiais importados do exterior. Em 1985, um tempo depois da morte de seu pai, Arnaldo comprou a editora do sr. Samuel Gorban, levando todo seu maquinário para a Rua 24 de Maio e fazendo da sala comercial a loja Combat Sport, a primeira loja de suplementos alimentares do Brasil.  

 

O nome Combat Sport teve como inspiração uma revista em quadrinhos com a mesma nomenclatura, vendida nas bancas. O logotipo foi criado por Arnaldo seu amigo Franco de Rosa, mesclando a tipografia utilizada na revista e uma fonte mais estilizada.  

 

Na mesma época, Dr. Euclésio Bragança iniciava sua jornada no mercado vendendo produtos naturais a granel, que ele prescrevia como dieta. Arnaldo o recebeu na loja e sugeriu que os produtos e as embalagens fossem direcionados aos esportistas. A demanda era influenciada por estudos e pesquisas publicados nas revistas especializadas do universo fitness, algumas delas importadas e comercializadas por Arnaldo em sua banca e editora. 

 

A sugestão foi aceita, o proteinato de cálcio, primeiro suplemento destinado aos atletas, conquistou a clientela. Logo vieram novas fórmulas e também as cápsulas de fígado desidratado, um produto consumido pelo fisiculturista Arnold Schwarzenegger, grande referência na modalidade nesse período. Assim surgiu a Integralmédica, atualmente uma das 20 maiores empresas de suplementação do mundo. 

 

O sucesso da Integralmédica ainda no final da década de 1980 fez com que outras empresas vissem o segmento de suplementos alimentares de forma promissora. Muitas delas inclusive foram assessoradas pela Combat Sport nos seus primeiros anos de operação, ampliando o alcance dos produtos para outros públicos. Esse movimento incentivou a abertura de novas lojas em todo território nacional e a indústria de suplementos alimentares foi se desenvolvendo a passos largos no país. 

 

Um estudo da AGP pesquisas de 2019, que investigou desde associações e órgãos regulamentadores, passando por artigos acadêmicos e jornalísticos, até pesquisas realizadas pelo IBGE, mostra que o Brasil é o terceiro maior mercado de suplementos no mundo, atrás apenas de Estados Unidos e Austrália. Aproximadamente 59% dos lares possuem pelo menos uma pessoa consumindo suplementos alimentares. Cerca de 85% dos consumidores afirma que consome suplementos buscando benefícios à saúde. No país, são mais de 250 marcas distintas e 8 mil pontos de venda.

 

A Revista 

 

Arnaldo dividia seu tempo entre a loja e a editora, produzindo material publicitário para diversas empresas de suplementos e atuando também como editor de algumas revistas especializadas. Entre elas estava a famosa Revista Vigor, referência para os praticantes de musculação. Apesar do sucesso do título, Arnaldo optou por vendê-lo um tempo depois.    

 

Em 1987, Arnaldo decidiu lançar no mercado a Revista Combat Sport, que até 1997 tratava exclusivamente de lutas e artes marciais. Apesar do sucesso de vários filmes de ação e combate nessa época, os anunciantes não queriam investir em publicações para este nicho. Arnaldo então fez uma pesquisa de mercado e optou por se comunicar mais com os consumidores e praticantes de esportes de academia. A musculação sempre foi uma referência para a prática e evolução de outras modalidades esportivas. Além disso, o mercado já acompanhava a tendência de valorização do universo fitness, vinda dos Estados Unidos. 

 

A edição da Revista Combat Sport foi zerada e Arnaldo apostou na pulverização da publicação via mala-direta para todo Brasil, não se restringindo apenas as bancas de jornais. A estratégia foi bem sucedida e com o passar do tempo revista tornou-se amplamente conhecida, tendo como principais anunciantes marcas de suplementos alimentares nacionais e internacionais. 

 

 

A Associação

 

Não demorou muito a Combat Sport se tornou uma marca bastante lembrada na mente dos consumidores e dos empresários. Além disso, com a editora, Arnaldo produzia apostilas, cartazes e materiais promocionais que ajudavam academias e federações esportivas de várias modalidades de luta e artes marciais a divulgarem seus cursos, eventos e competições.  

 

Em 1991, Arnaldo decidiu fazer ainda mais pelo esporte. Aproveitando o espaço vago no 5º andar do Edifício Zico, foi fundada a Associação Combat Sports, uma equipe de lutas que não apenas revelou grandes lutadores, como se tornou referência na formação de atletas de alto nível. 

 

Grande admirador de lutas e artes marciais, Arnaldo fez questão de contar com o apoio de treinadores qualificados para ministrar aulas na academia. Ney Aguilar, Nelson Seleri, Moisés “Gibi” Batista, Gilmar “China”, entre outros treinadores experientes passaram pelo tatame da Combat, mas dois nomes merecem um destaque especial. Luiz Augusto Alvarenga, um dos pioneiros da modalidade Full Contact no Brasil, ministrou cursos, seminários e aulas práticas na Combat; e Roney Alex, formado na Inglaterra pelo Mestre Bun Riang, foi um dos que ajudou a introduzir o Muay Thai no país e também tornou-se responsável por fazer da modalidade uma das marcas da equipe Combat Sport, que perpetua até os dias atuais. 

 

A proximidade de Arnaldo com mestres de várias modalidades e também diversos organizadores de evento, fez com que a equipe participasse dos principais e mais prestigiados torneios que ocorriam no calendário esportivo nacional. Não demorou muito para surgirem os primeiros títulos. A equipe Combat Sport, aliás, chegou a levar alguns campeões de Muay Thai para os ringues de Boxe. A fusão das modalidades fez com que a Associação tivesse resultados ainda mais satisfatórios em eventos de lutas em pé, competições que estavam precedendo a onda do MMA (Mixed Martial Arts), que ganhou força após os anos 2000.  

 

Grandes feras dos ringues treinaram regularmente ou de forma pontual no 5º andar da Avenida Ipiranga, 818, como Anderson Silva, campeão peso médio do UFC, Tiago Beowulf, sparing e treinador de kickboxing do lutador Daniel Comier (campeão meio-pesado do UFC), entre outros. 

 

Arnaldo com Anderson Silva (campeão do UFC)

 

Presente e futuro

 

Com o sucesso da Combat Sport em todos os segmentos, Arnaldo teve a oportunidade expandir os negócios. Abriu uma filial na Barra Funda, ao lado da ponte da Casa Verde, uma via de passagem bastante conhecida por todos que circulam de carro pela capital paulista. A segunda filial foi aberta da Rua Dom José de Barros, próximo ao calçadão da 24 de maio e da estação república do metrô. 

 

O objetivo é continuar sendo uma grande referência no que diz respeito à suplementação alimentar e atividade física. 

 

Para isso, a Combat Sport mantém a tradição de oferecer aos seus clientes uma ampla variedade de produtos, bom preço, atendimento personalizado, além de um conteúdo relevante e qualificado. 

 

Vamos nutrir o corpo e a mente com o que há de melhor no mercado.

 

 

Sobre a loja

Somos a primeira loja de suplementos alimentares do Brasil Variedade, bons preços e atendimento personalizado, só na famosa esquina da Ipiranga com a São João!

Social
Pague com
  • Pagar.me V2
Selos
  • Site Seguro

CombatSport Comércio de Material Esportivo Ltda - CNPJ: 56.548.811/0001-86 © Todos os direitos reservados. 2021