Home / Edição 81 / HIPERTROFIA PARA A SAÚDE

HIPERTROFIA PARA A SAÚDE

O envelhecimento é inevitável, mas…

 

Não vamos falar de Hipertrofia somente correlacionando com corpos musculosos e esculturais! Hipertrofia significa a preservação da estrutura corporal para a manutenção da Saúde.
Com o avanço da idade, há uma grande mudança a nível hormonal e muscular, gerando catabolismo (degradação) muscular, conhecido como Sarcopenia. Esta é caracterizada como uma patologia multifatorial, levando à diminuição no tamanho das células musculares, ocasionando perda de força e de musculatura. Também é chamada de desnutrição silenciosa.

Estudos nos mostram que a partir dos 30 anos de idade há perda de 0,5 (meio) a 1% (um porcento) da massa muscular por ano e a partir dos 40, 50 anos, esse índice se eleva, gerando impacto negativo na qualidade de vida, afetando a perda de massa muscular e fraqueza articular; implica também no aumento de doenças, incluindo diabetes tipo II, síndrome metabólica, osteoporose, risco de quedas com fraturas, entre outros males.
Mas vamos pensar pelo lado positivo! A Sarcopenia é um processo que pode ser evitado e também é reversível. Se o indivíduo é ativo na idade adulta, faz Musculação ou outras atividades com o objetivo de aumento de massa muscular, a velocidade com que ocorrerá a perda de massa magra na terceira idade será mais lenta; então pense nisso: Quando fazemos musculação, não é apenas para a beleza e definição corporal, mas sim , é um investimento para o futuro.
Fatores que levam à perda muscular:
IDADE – Redução na produção hormonal como GH e Testosterona.

DIMINUIÇÃO DA ATIVIDADE FÍSICA – Sedentarismo e situações de doenças com grande uso de medicamentos e repouso prolongado.
DESNUTRIÇÃO – Baixa ingestão de proteínas, níveis baixos de vitaminas e minerais, especialmente a Vitamina D3, má absorção de nutrientes, problemas gastrointestinais e uso de medicamentos.
DOENÇAS – Comorbidades como câncer, doença renal, diabetes e obesidade.
A prática da musculação com desenvolvimento da força está intrinsicamente relacionada ao envelhecimento saudável, assim como a suplementação nutricional proteica, e ambos podem reverter a perda de massa muscular e aumentar a massa magra e força, gerando mais mobilidade e equilíbrio.
Ainda temos que citar os fatores hormonais, onde qualquer desequilíbrio colabora para a perda de musculatura e força. Os principais hormônios anabólicos são a Testosterona e o GH e também o fator de crescimento IGF-1 (proteína produzida no fígado em resposta ao GH), juntamente com sua variante, o MGF (fator de crescimento mecânico), apontados em diversos estudos como críticos na manutenção da massa muscular e óssea. Esses hormônios são estimulados e produzidos em resposta aos exercícios e atuam na união a receptores celulares na transmissão do sinal do exterior para o interior da célula, ativando a via formadora de proteína mTOR (importante via anabólica celular que é responsável por grande parte da resposta anabólica ao estímulo de nutrientes).

Para a prevenção da Sarcopenia, como citado acima, é de grande importância a prática de atividade física, principalmente a Musculação, durante a vida adulta. Não menos importante, o balanceamento nutricional proteico e um aporte de vitamina D, BCAA, especialmente a Leucina, Creatina e Ômega 3.
Para concluir, vou usar o Estudo de Caso com o título “Prática de exercícios de força associada a ingestão proteica e melhora da Sarcopenia”, pesquisa elaborada pelo Dr. Rafael Knack e gentilmente cedido pelo laboratório ADPTOGEN SCIENCE, para nosso conhecimento:
“A Sarcopenia associada ao envelhecimento é um processo lento, progressivo e aparentemente inevitável, até mesmo naqueles indivíduos que praticam exercícios físicos regularmente. Suas consequências afetam diretamente a funcionalidade e qualidade de vida de muitos idosos, com sérias repercussões sobre os aspectos sociais, econômicos e de saúde. Existem diversos fatores etiológicos envolvidos à patogênese da Sarcopenia, entretanto ainda não foi estabelecida uma clara relação causal. É necessário e fundamental o desenvolvimento de estudos longitudinais para melhor compreensão dos aspectos fisiopatológicos da Sarcopenia, bem como a otimização de métodos para medida da massa muscular para o diagnóstico precoce e avaliação de medidas terapêuticas efetivas para o ganho de massa muscular esquelética em idosos.”
O envelhecimento é inevitável, mas vamos envelhecer com saúde, energia e independência!
REFERÊNCIAS:
GARCIA, P.A. Sarcopenia, Mobilidade Funcional e Nível de Atividade Física em Idosos Ativos da Comunidade. 2008. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte;
PARAHYBA M.I., SIMÕES C.C.S. A prevalência de incapacidade funcional em idosos no Brasil. São Paulo, SP.

 

– Nutricionista CRN 8457 Pr
– Personal Trainer CREF 2998 G Pr
– Especialista em Treinamento Desportivo
– Especialista em Fitoterapia
– Mestranda em Nutrição e Biotecnologia de Alimentos
– Integral Expert
– Bi-Campeã Mundial e Miss Universo Bodybuilding
– Contato: larissagcunha@hotmail.com

Veja também!

ESTEVÃO SILVA – O Strongbuilder mais Forte do Brasil

Na edição passada falamos sobre todo o universo e as vertentes que envolvem o treinamento …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *