Home / Edição 77 / HIIT – TREINAMENTO INTERVALADO DE ALTA INTENSIDADE – QUE SUPLEMENTOS TOMAR?

HIIT – TREINAMENTO INTERVALADO DE ALTA INTENSIDADE – QUE SUPLEMENTOS TOMAR?

A busca por programas de exercícios que proporcionem benefícios estéticos e principalmente promoção de saúde em mais curto espaço de tempo tem levado ao surgimento de várias modalidades, principalmente nas academias.

Um modelo recente que tem atraído inúmeros adeptos é o chamado HIIT, que significa treinamento intervalado de alta intensidade. O princípio desta modalidade é utilizar exercícios vigorosos intervalados por pequenas pausas.
Durante os exercícios, o aluno, ao invés de manter a frequência cardíaca dentro da chamada faixa de treinamento aeróbico (70 a 85% da frequência cardíaca máxima), deve manter uma intensidade que faça com que sua frequência cardíaca se mantenha entre 85% e a frequência máxima.
Este modelo encurta a duração das sessões de exercícios, na medida em que utiliza mais a intensidade do que a duração do estímulo.

A alta intensidade dos treinos, além de conferir ganho de condicionamento físico em um período mais curto de treino, também faz com que o metabolismo após o treinamento permaneça acelerado por mais tempo, o que favorece o emagrecimento.
Para potencializar os resultados e o rendimento durante as sessões de HIIT, o uso de suplementos nutricionais torna-se imprescindível.
Como os treinos são muito intensos, é necessário adotar uma estratégia de suplementação que dê um “boost” na disposição, potencialize o ganho de massa muscular, diminua o catabolismo e acelere a recuperação dos músculos.
A cafeína estimula o sistema nervoso central, ajudando a dar mais disposição e foco para os treinos, além de retardar a fadiga. Outro efeito bastante desejado vem da sua propriedade termogênica que ajuda a queimar mais gorduras, auxiliando a conquistar aquele shape rasgado!
O uso combinado de whey protein e carboidratos, imediatamente após os treinos, acelera a recuperação dos músculos, o que potencializa a hipertrofia!

O BCAA pode ser consumido antes e após os treinos, para favorecer o anabolismo e evitar o catabolismo.
É inegável que este modelo para ser adotado requer obrigatoriamente uma avaliação prévia, tanto do ponto de vista cardiovascular quanto ortopédico. Aliás, a preocupação com problemas ortopédicos como tendinites, sobrecarga articular, lesões musculares, etc., devem ser prioridade na adoção desta metodologia.
O HIIT pode ser adotado desde que sejam respeitados estes critérios, e principalmente o programa seja ajustado individualmente em termos de intensidade, tipos de exercícios e sob supervisão de profissional competente!

Dr. Turibio Leite de Barros
Dra. Gerseli Angeli
Mestres e Doutores em Fisiologia do Exercício
Membros do Conselho Científico da MIDWAYLABSUSA

Veja também!

ESTEVÃO SILVA – O Strongbuilder mais Forte do Brasil

Na edição passada falamos sobre todo o universo e as vertentes que envolvem o treinamento …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *